Venezuela manda prender 11 diretores do maior banco privado do país

O procurador-geral da República da Venezuela, Tarek William Saab, confirmou hoje (3) que foram expedidos mandados de prisão contra 11 diretores do Banesco Banco Universal CA - a maior instituição privada bancária do país. Segundo ele, os executivos são suspeitos de omitir informações relevantes às autoridades. As investigações fazem parte da Operação Mãos de Papel, que apura a existência de uma "máfia" venezuelana formada com o objetivo de desmantelar o sistema econômico do país.

“As evidências mostraram que mais de 900 atividades ilegais foram detectadas no Banesco, e a instituição informou apenas 30, ou seja, parou de relatar 870 dessas contas ilícitas”, disse o procurador.

O procurador, entretanto, afirmou que os clientes do banco podem ficar tranquilos. “O objetivo desta operação é reorganizar e limpar as atividades bancárias, para que elas sejam realizadas em estrita conformidade com as leis.”

Na relação de detidos, estão o presidente do banco, Oscar Doval; os vice-presidentes Jesús Irausquin, Carlos Lorenzo, Pedro Pernia e Belinda Omaña; o consultor jurídico, Marco Ortega; o diretor Liz Sánchez; os gerentes David Romero e Cosme Betancourt; e os funcionários Teresa De Prisco e Carmen Lorenzo.

De acordo com o procurador, as investigações que envolvem o banco levaram ao bloqueio de 1.380 contas bancárias, das quais 1.000 pertencem à instituição e teriam sido utilizadas para atividades desestabilizadoras contra a economia do país.

Saab afirmou também que já foram presas 134 pessoas, emitidos 398 mandados de ordem e apreensão. Foram coletados ainda endereços de IP localizados no exterior e verificadas inconsistências nas operações bancárias.

*Com informações da Presidência da República da Venezuela.

Por Renata Giraldi 

Comentários

Publicidade

Mais vistas da semana

BC cria grupo de estudo sobre emissão de moeda digital

Blockchain, muito além do bitcoin

Bitcoin será superado por Ethereum segundo Roger Ver

Cripto híbrida e fundo imobiliário ganham permissão do governamental na Alemanha

Especialistas defendem uso da tecnologia BlockChain para reduzir fraudes com dinheiro público