Contas de luz poderão ser pagas com Pix

Em parceria com a Aneel, as faturas de energia elétrica serão gradativamente adaptadas para aceitarem o pagamento instantâneo.

Sabe aquela conta de luz que você se lembrou de pagar só no fim de semana? Você não precisa temer o corte da energia. O Banco Central (BC) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) acertaram a possibilidade de pagar a conta de luz com o Pix, o pagamento instantâneo brasileiro.

Com o Pix, o pagamento da fatura ocorre imediatamente, a qualquer hora, em qualquer dia da semana. “Do ponto de vista dos consumidores, o Pix amplia as opções de pagamento atualmente disponíveis e permite o pagamento de forma eletrônica, fácil, sem custo adicional”, explica o diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello (foto ao lado).

Confira se a instituição onde você tem conta pediu adesão ao Pix.

Ao garantir o pagamento imediato, o Pix tem potencial de agilizar o religamento da energia, no caso de residências e estabelecimentos comerciais que estiverem condicionados à verificação do efetivo pagamento. Atualmente, esse processo pode levar dias devido às características do meio de pagamento usualmente utilizado para liquidação das faturas.

"Nossa gestão coloca o consumidor em primeiro lugar. A busca incessante para que os consumidores tenham serviço de qualidade e soluções práticas para facilitar sua relação com as distribuidoras pauta nossa atuação na Agência. O Pix facilita esse atendimento ao consumidor. Por meio dessa iniciativa moderna, os consumidores ganham mais uma opção para pagar, em qualquer horário e dia, sua fatura eletronicamente, sem precisar ir em agências bancárias, lotéricas ou postos de atendimento das distribuidoras”, comentou o diretor-geral da Aneel, André Pepitone.

O acordo de cooperação técnica firmado entre BC e Aneel facilita também as atividades das distribuidoras de energia. O Pix é mais rápido e barato para essas empresas receberem pela prestação do serviço. A Aneel fará a interlocução com as distribuidoras e com o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para que o Pix alcance todas as prestadoras de serviço e esteja adequado para fins de emissão da nota fiscal de energia elétrica.

A utilização do Pix no âmbito das distribuidoras de energia elétrica será feita gradualmente e pode durar até dois anos, que é o tempo de vigência do acordo de cooperação.

Com a inclusão das contas de luz, aumenta a lista de serviços públicos abrangidos pelo pagamento instantâneo. Antes do acordo com a Aneel, o BC havia firmado parceria com a Secretaria do Tesouro Nacional (STN), para o recolhimento de taxas federais.

O Pix é uma ação da Agenda BC#, na dimensão competitividade


Comentários

Publicidade

Mais vistas da semana

Cripto híbrida e fundo imobiliário ganham permissão do governamental na Alemanha

Blockchain também é para o setor público

Blockchain, muito além do bitcoin

O que é Bitcoin?!